A cheia de 2021 deve receber planejamento estratégico para evitar impacto

Deputado Dermilson Chagas realiza audiência pública para cobrar planejamento estratégico durante o período de cheia. O tema do evento será “A Enchente de 2021 e os Impactos aos Produtores – Como Minimizar e Qual o Papel do Poder Público” Por iniciativa do deputado Dermilson Chagas (Podemos), será realizada uma audiência pública para discutir os problemas […]
Postado em: 18 de abril de 2021

Deputado Dermilson Chagas realiza audiência pública para cobrar planejamento estratégico durante o período de cheia. O tema do evento será “A Enchente de 2021 e os Impactos aos Produtores – Como Minimizar e Qual o Papel do Poder Público”

Por iniciativa do deputado Dermilson Chagas (Podemos), será realizada uma audiência pública para discutir os problemas que surgirão com a grande cheia, que está sendo anunciada pelo Serviço Geológico do Brasil – Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (SGB-CPRM). De acordo com o boletim expedido pelo órgão, o rio Negro pode atingir, neste ano, a cota máxima de de 29,45 metros no Porto de Manaus, que é a cota de emergência, quando o rio transborda e invade a rua dos Barés, no Centro, zona sul de Manaus.

Dermilson Chagas informou que o tema do evento será “A Enchente de 2021 e os Impactos aos Produtores – Como Minimizar e Qual o Papel do Poder Público” e que ele será realizado no próximo dia 23, às 9h, no miniauditório Cônego Azevedo, localizado no térreo da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam).

Dermilson Chagas destaca que todos os órgãos que podem contribuir direta ou indiretamente na resolução de problemas advindos com o período de cheia foram convidados a participar para darem suas devidas contribuições. O parlamentar destacou que a audiência pública será realizada de forma híbrida e que todos os protocolos recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para evitar a proliferação da Covid-19 serão observados, como distanciamento nos assentos, uso de máscaras e álcool em gel.

Políticos de destaque no cenário nacional foram convidados para o evento, bem como todos os parlamentares da Aleam. Também foram convidados órgãos e entidades ligados ao setor primário, como Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (Faea), Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Amazonas (Fetagri), Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror) e Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam).

Também foram convidados o Comando Militar da Amazônia (CMA), a Comissão de Agricultura da Câmara Municipal de Manaus, a Defesa Civil do Amazonas, o CPRM, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), prefeituras municipais, a Associação Amazonense de Municípios (AAM), a Federação dos Pescadores, a Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), o Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon), o Conselho Regional de Administração do Amazonas (CRA-AM), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea).

Nível de cheia do rio Negro

O deputado Dermilson Chagas disse que a previsão do CPRM provoca preocupa porque o nível de subida dos rios é crescente. O rio Negro, por exemplo, registrou em janeiro deste cotas de 21,26 (dia 1º) a 24,43 (dia 31). Em fevereiro, a cota do rio variou de 24,49 (dia 1º) a 25,76 (dia 28). Em março, o nível do rio continuou subindo. De 25,79 (dia 1º) a 27,28 (dia 31). Neste mês de abril, o rio apresentou a mínima de 27,34 (dia 1º) e a máxima de 28,14 (dia 16), bem próximo da cota máxima de 29,45 metros.

FOTOS: MÁRCIO GLEYSON

Copy link